Inspecções-Sistema de Travagem

Deficiências Observadas nas Inspecções

    Tipo 1:

  • deficiência que normalmente não afecta de forma grave, o funcionamento nem segurança do veículo.
  • Tipo 2:

  • deficiência que afecta gravemente o funcionamento e segurança do veículo, assim com sua identificação.
  • Tipo 3:

  • deficiência muito grave que implica paralisação do veículo.

Os veículos são reprovados sempre que:

  • Se verifiquem mais de cinco deficiências do tipo 1.
  • Se verifiquem uma ou mais deficiências do tipo 2 ou 3.
  • Não seja efectuada a correcção da deficiência ou deficiências anteriormente anotadas, salvo as relativas ao documento de identificação do veículo

Os veículos que apresentem deficiências do tipo 2 nos sistemas de direcção, suspensão ou travagem, não podem transportar passageiros, nem carga enquanto não forem aprovados.

Os veículos que apresentem deficiências do tipo 3, podem circular apenas para deslocação até ao local de reparação e posterior regresso ao centro de inspecção para confirmar a correcção das anomalias.

Sempre que o veículo tenha sido reprovado em inspecção, pode o mesmo, no prazo de 30 dias, voltar ao centro de inspecções para confirmar a correcção das anomalias.

Quando as deficiências constatadas na inspecção ou reinspecção precedente não tiverem sido atempadamente corrigidas, o prazo referido anteriormente será reduzido para 15 dias.

Processos de Inspecção Automóvel Sistema de Travagem

1. Objectivo

Deverá ser feita a inspecção visual aos seguintes componentes do sistema de travagem: Estado e curso do pedal do travão

Bomba de vácuo, compressor e depósito

Reservatório e bomba central de travão

Indicador de pressão

Dispositivo de assistência de travagem e ABS

Travão de Estacionamento, alavanca e dispositivo de bloqueio

Veios de excêntricos e alavanca do travão

Bomba de vácuo, compressor e depósitos

Válvulas de Travagem – Comando, descarga rápida e reguladores de pressão.

Cintas e calços de travões
Tambores e discos
Cabos de travões e comando
Cilindro de travões

Compensador automático de travagem

Alavancas excêntricas de afinação automática

Eficiência de desequilíbrio de travagem

Ovalização

Esta observação e verificação são efectuadas com o auxílio das placas detectoras de folgas Frenómetro e Desacelarógrafo.

2-Campo de Aplicação

Esta observação e verificação aplica-se aos seguintes veículos de acordo com os componentes: Ligeiros

Pesados

Reboques

3- deficiências atribuir

I – Classificação das deficiências

Sistemas de Travagem

DESIGNAÇÃO

ESTADO MECÂNICO DE FUNCIONAMENTO

Veios de excêntricos dos travões e alavanca de travão

Difíceis de movimentar

2

Desvio da sede

2

Forte desgaste ou com folga

2

Estado e curso do pedal do travão

Curso excessivo, reserva de curso insuficiente

2

O travão recupera com dificuldade

2

Superfície anti- escorregamento do pedal de travão inexistente, mal fixada ou gasta

1

Bomba de vácuo ou compressor e depósito

Tempo demasiado longo para atingir a pressão de serviço e assegurar uma travagem

2

eficaz

Pressão insuficiente para assegurar uma travagem repetida (pelo menos duas aplicações

de

travão) após indicação de pressão baixa (situação de perigo)

2

Fuga de ar causadora de uma queda de pressão significativa ou fugas de ar perceptíveis

2

Perdas de óleo excessivas no compressor

2

Indicação de pressão (manómetro) ou indicador

Funcionamento defeituoso do indicador do manómetro

2

Válvula manual de travagem

Fissurada ou danificada, forte desgaste

2

Funcionamento defeituoso da válvula de comando

2

Pouca fiabilidade no accionamento da válvula ou da haste respectiva

2

Fugas no sistema, ligações mal fixadas

2

Mau funcionamento

2

Travão de estacionamento, alavanca de comando e dispositivo de bloqueio

Fixação de posição da alavanca, insuficiente

2

Desgaste excessivo no pivot da alavanca ou no mecanismo da cremalheira

2

Curso excessivo ou afinação incorrecta

1

Válvulas de travagem (de comando, de descarga rápida, reguladoras de pressão,

etc.)

Danificadas, descarga excessiva estanquicidade insuficiente (fugas de ar )

2

Fixação ou suporte defeituoso

2

Perdas de fluido de travões

2

Cabeças de acoplamento para os travões dos reboques e semi-reboques

Torneiras ou válvulas autovedantes defeituosas

2

Fixação ou montagem defeituosa

2

Estanquicidade insuficiente

3

Depósitos de pressão

Danificado, corroído ou com fugas

2

Dispositivo de purga inoperativo

1

Fixação inoperativa ou incorrecta

2

Dispositivo de assistência à travagem e bomba central (sistemas hidráulicos)

Dispositivo de assistência à travagem deficiente

2

Dispositivo de assistência à travagem ineficaz

3

Bomba central com fugas

3

Bomba central defeituosa

2

Bomba central solta

3

Quantidade insuficiente de fluido de travões

1

Tampão do reservatório da bomba central em falta

1

Luz indicadora do fluido dos travões acesa ou defeituosa

1

Funcionamento defeituoso do dispositivo indicador do nível de fluido dos travões

1

Tubagem rígida dos travões

Risco de falha ou de rotura

2

Fugas nos tubos ou acoplamentos

3

Danificada ou excessivamente corroída

2

Deficientemente apertada

2

Tubagem flexível dos travões

Risco de falha ou de rotura

2

Danificada demasiado curta ou torcida

2

Fugas nos tubos ou nas ligações

3

Deformação dos tubos sob pressão

2

Cintas/calços dos travões

Ausência de calços

3

Desgaste excessivo

2

Atacados por óleo ou gorduras

2

Tambores e discos dos travões

Desgaste excessivo, fissuras, fracturas ou outros defeitos comprometedores da segurança

2

Tambores ou discos engordurados por óleo, gorduras, etc.

2

Chapa mal fixada (protecção)

1

Cabos dos travões e comandos

Cabos danificados

2

Desgaste ou corrosão excessivos

2

Falta dos dispositivos de segurança nas juntas dos cabos ou das hastes

2

Guias dos cabos defeituosas ou mal fixadas

2

Fixação insuficiente dos cabos

2

Entrave ao movimento do sistema de travagem

3

Movimento anormal das alavancas, tirantes ou articulações que revelem afinação

incorrecta ou desgaste excessivo.

2

Cilindros dos travões (incluindo travões de molas e cilindros hidráulicos):

Fissurados ou danificados

3

Com fugas

3

Montagem inadequada ou deficiente

2

Corrosão excessiva

2

Curso excessivo do mecanismo de diafragma

2

Curso excessivo do embolo

2

Protecção anti-poeira inexistente ou danificada

2

Compensador automático de travagem em função da carga

Montagem ou ligações defeituosa

2

Afinação incorrecta

2

Mecanismo gripado ou inoperativo

2

Inexistente

2

Alavancas excêntricas de afinação automática

Mecanismo gripado

3

Movimento anormal indicando desgaste excessivo ou má afinação

2

Funcionamento defeituoso

2

Sistemas retardadores (para os veículos equipados com este tipo de dispositivo)

Mal montado ou ligação deficiente

2

Funcionamento defeituoso

2

Ausência de revestimentos térmicos

2

Posicionamento inadequado

2

Sistema ABS (Sistema de travagem anti-bloqueio)

Funcionamento deficiente

2

Montagem incorrecta

2

Mau funcionamento do indicador luminoso

1

DESEMPENHO E EFICIÊNCIA DOS TRAVÕES DE SERVIÇO

Comportamento funcional (aumentando a força de travagem progressivamente até

ao valor máximo)

Força de travagem inadequada de uma ou mais rodas

2

A força de travagem de qualquer roda inferior a 70% do valor máximo registado na outra

roda do mesmo eixo (registo automatizado dos valores)

2

No caso do ensaio de travagem ser efectuado em estrada, o desvio do veículo em relação

a uma linha recta é excessivo

2

Inexistência de variação gradual da força de travagem (trepidação ou bloqueamento

brusco)

2

Tempo de resposta anormal na operação de travagem de qualquer roda

2

Flutuação excessiva da força de travagem devida á existência de discos empenados ou de

tambores ovalizados

2

Eficiência

Para reboques e semi-reboques matriculados antes de Janeiro de 1989 (1)

Inferior a 20%

3

Entre 20% e 40% (exclusivé)

2

Para reboques e semi-reboques matriculados a partir de Jan de1989 (1)

Inferior a 20%

3

Entre 20% e 43% (exclusivé)

2

Para pesados de mercadorias e tractores (2)

Inferior a 20%

3

Entre 20% e 45% (exclusivé)

2

Para ligeiros

Inferior a 25%

3

Entre 25% e 50% (exclusivé)

2

Para pesados de passageiros

Inferior a 25%

3

Entre 25% e 50% (exclusivé)

2

DESEMPENHO E EFICIÊNCIA DOS TRAVÕES DE EMERGÊNCIA (se existir um sistema

separado)

Desempenho

Travão(s) inoperativo (s) num dos lados

2

Força de travagem da roda menos travada do eixo, inferior a 70% do esforço máximo da

outra roda

2

Progressividade irregular na travagem (bloqueamento)

2

Sistema automático de travagem do reboque inoperativo

2

Eficiência

Para reboques e semi-reboques : Inferior a 20%

2

Para ligeiros e pesados de passageiros : Inferior a 25%

2

Para os restantes veículos : Inferior a 20%

2

DESEMPENHO E EFICIÊNCIA DO TRAVÃO DE ESTACIONAMENTO

Desempenho: Travão inoperativo num dos lados

2

Eficiência: Inferior a 16% ( registo automatizado dos valores)

2

DESEMPENHO DO RETARDADOR OU DO TRAVÃO DE ESCAPE

Não modulável (retardador)

2

Funcionamento defeituoso

2